Sónia Adonis Jewellery
Visitar Goste da página Facebook Contacte Adonis Jewellery

Bons Sons em Cem Soldos

Festival Bons Sons’15

Ser Cem Soldense é hoje, como no passado, um orgulho para quem nasceu e vive nesta aldeia situada a 5 km de Tomar. Cem Soldos tem hoje, e sempre teve, um verdadeiro espírito comunitário. Só aqui poderia ter nascido o Bons Sons, um Festival que encerra uma aldeia.

AMBIENTE-BX-010

Organizado pelo Sport Club Operário de Cem Soldos, todo o trabalho é voluntário e todo o lucro reverte a favor da aldeia, sendo investido em actividades sociais e culturais que promovem a qualidade de vida dos seus habitantes, sendo por isso um Festival único no país.

O Bons Sons, o Festival de Música Portuguesa, abre as portas dos cafés, das mercearias, das casas, dos quintais para acolher cerca de 40 mil pessoas que rumam a Cem Soldos, não só pela música mas essencialmente pela vivência da aldeia, pelas tertúlias espontâneas nas tasquinhas, na rua da Feira de Marroquinarias, nos Largos e no Campismo.
É um Festival para os grandes, os pequenos e os minúsculos, onde os pais levam os filhos (ou vice-versa), em suma, onde se reúne a família.

[Fotorreportagem Jorge Buco]

Foi nesse sentido também, que o Festival apostou numa programação infantil mais forte e num espaço criança com várias actividades e serviços.

Foram 45 as bandas que passaram pela aldeia, distribuídas por 8 palcos espalhados pelos largos, Igreja e sua escadaria, auditório, antiga eira e garagem (onde, com prévia inscrição, qualquer pessoa ou banda poderia mostrar o seu trabalho).

Os dias começavam cedo e eram dedicados aos mais novos com concertos no Auditório, que voltava a ser ocupado pela mostra de cinema das “Curtas em Flagrante” a meio da tarde.

Horas antes, na Igreja – palco de espaço de programação da “Música Portuguesa a Gostar dela Própria” (MPAGDP), ouvira-se Bicho do Mato, Chão da Feira, Tio Rex ou Janeiro.

Carlão-BX-012Os Sampladélicos fizeram as honras de abertura do Festival na Igreja, a que se seguiram Éme, Benjamim e Penicos de Prata e o concerto sublime do Júlio Resende no Palco “Giacometti”, a protagonizar o momento mais marcante da tarde já muito fria.

Mais tarde no Palco “Eira”, este ano embelezado com um tecto feito de sacas de batatas (projecto vencedor do concurso “Ideas Forward” da dupla Orlando Gilberto-Castro e Tiago Ascensão), os Riding Pânico descongelaram-nos a cerveja mas foi Manuel Cruz que nos fez ir beber “mais umas”.

O Palco “Eira” voltou a encher, no dia seguinte, com o concerto de Carlão que surpreendeu os que acreditavam que “Carlos Nobre só com Da Weasel”, e os pirralhos também (a minha filha pré-adolescente decidiu que tinha que se colar ao gradeamento para ver bem de perto).

A anteceder Salto, os Clã foram os senhores da noite, e do dia. O público encheu o Largo do Rossio e cantou-as todas sem descolar os olhos, e os ouvidos, do Palco “Lopes Graça” para ver, e ouvir a Manuela Azevedo que com uma energia contagiante lhes pôs um salsifré debaixo dos pés.

O terceiro dia não foi de ressurreição porque estava tudo ainda mais vivo.
Era Sábado e mais pessoas chegaram e encheram a aldeia, e encheram os concertos de D’Alva, Bruno Pernadas, Nice Weather for Ducks, Ana Moura e, até ao alvorecer, Nigga Fox, DJ Fimeza e Nidia Minaj. Ufa!

SALTO-BX-004Quem conseguiu fugir às tentações da noite anterior, chegou a tempo de ver Tio Rex na Igreja de São Sebastião ou, mesmo com um almoço tardio, ouvir João Berhan no Palco “Giacometti”. Neste mesmo Palco, Tó Trips foi Tó Trips.

Passagem obrigatória pelo bar da ginjinha (quem é de Tomar conhece bem), jantar numa das inúmeras tascas espalhadas pela aldeia e seguir para: Peixe-Avião, Camané e Long Way To Alaska que fizeram as despedidas do Palco “Eira”.

As despedidas do Festival ficaram a cargo do DJ Tenreio no Lago principal, com um público mais reduzido (o dia seguinte era já dia de trabalho) a mostrar vontade de ficar e as esplanadas e as tascas sem vontade de fechar.

O Festival a não querer parar. E não pára! Parece que é já tempo de fazer balanços e preparativos para a próxima edição.

Então, até já Bons Sons.

[Fotorreportagem Jorge Buco]

Fotos: Jorge Buco

Partilhar...
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Instagram