Facebook Pixel

Gonna Be 18

Bryan Adams

Bryan AdamsHá artistas pelos quais o tempo não passa e que terão 18 anos até morrerem.
É o caso de Bryan Adams.

Ontem, 25 de Janeiro, Parque das Nações, Lisboa, 20H30, o centro comercial está anormalmente cheio para uma noite fria e chuvosa de uma segunda-feira de inverno. Se dúvidas houvesse, elas ficariam dissipadas.
Grupos de homens e mulheres nascidos até cerca de 1985 caminham animadamente pelo espaço em direcção ao Parque das Nações. É noite de espectáculo na Meo Arena e o artista é um favorito dos portugueses: Bryan Adams.

As enormes filas à porta do recinto denunciavam o que se veria lá dentro, uma casa cheia, quase a rebentar pelas costuras, para ouvir a inconfundível voz de “Summer of 69”, quatro anos depois do seu último concerto em Portugal.
Quinze minutos depois das 21H00, o canadiano sobe ao palco da Meo Arena com “Do What You Gotta Do”, uma das músicas do seu mais recente álbum, “Get Up”, editado no final do ano passado, logo seguido de um electrizante e bem mais antigo “Can’t Stop This Thing We’ve Got”.

Ao longo de pouco mais de duas horas, o cantor de 57 anos, que provou mais uma vez estar em excelente forma ao cantar non stop durante mais de hora e meia, até ao encore, desfiou um rosário de clássicos que fez as delícias dos fãs.

De “Run to You” a “Summer of 69”, passando por “Somebody”, “If You Wanna Be Bad Girl Ya Gotta Be Good” ou “Cut’s Like a Knife”, sem esquecer as baladas românticas que, aqueceram os corações apaixonados, como “Heaven”, “(Everything I Do) I Do It For You”, “Straight from the Heart” ou “All For Love”, música que encerrou o concerto.
Houve ainda tempo para “discos pedidos”, com o cantor a tocar “Lonely Nights” e “Where I Am”, apenas duas das dezenas de músicas que fazem parte dos seus 13 discos editados.

Pelo meio, Bryan Adams foi falando com o público.
Este ano não houve subidas ao palco mas em “If You Wanna Be Bad Girl Ya Gotta Be Good”, Bryan Adams escolheu uma fã para dançar da bancada para todo o recinto ver. Mas quando o técnico de luzes não o ouviu pedir, repetidamente, que direcionasse o foco para a fã, Bryan Adams protagonizou o momento da noite ao interromper a música e perguntar ao técnico, em português: “Não percebes inglês?”, questão que provocou uma gargalhada geral no público.

Antes de terminar o concerto, já no encore, Bryan Adams relembrou a sua infância passada em Birre, Cascais, e revelou que foi em Portugal que descobriu a música, depois de um amigo lhe ter dado a conhecer os Beatles e depois de ter conhecido o fado, pelas mãos do pai.

No final das cerca de duas horas de concerto, os fãs saíram da Meo Arena visivelmente satisfeitos e com vontade de continuar a ouvir Bryan Adams durante pelo menos mais duas horas.

Foto: Facebook Bryan Adams

Bryan Adams poster

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram
Copiar ligação