Facebook Pixel

Ménage

J.D. – Last year, 2015, you signed a deal with I Play Records out of Portugal, how did this happened?
O ano passado, 2015, assinaram com a produtora I Play Records fora de Portugal, como tudo aconteceu?

Bela – One way or another with us, things had come to us. It’s usually nice, because it’s been very organic the way things had happen.
We are so busy writing and trying to perform in a very personal kind of way that has been natural the way music get to people. It’s a great thing and what happened was that they found out about us and they try to reached us, some years ago but didn’t work out, but now it did. It really weird the way that world works… so what’s meant to be… it’s meant to be.

De uma forma ou de outra, as coisas vieram ter connosco. É agradável porque acabou por ser algo muito orgânico, a forma como tudo aconteceu.
Andamos tão ocupados a escrever que nem nos apercebemos como é que as coisas têm acontecido de forma tão natural. Eles conheceram-nos já há uns anos, e tentaram contactar-nos, mas na altura não funcionou… mas agora sim. É um pouco estranho a forma como o mundo funciona… o que tem de ser… tem muita força.

Gabriel – The project already had legs. Artisticaly speaking we have a Foundation. The songs were written, and who we are is who we are and never had been a disctractor about what the band is and about what the band does and from that point of view we are taking care more of the business. What we do, is really us.
They make the part of the business, but the business is us, and we take care of it, and we always want to keep it that way.

O projecto já tinha pernas para andar e já tínhamos uma boa fundação. As músicas foram escritas e o que somos é mesmo o que somos e nunca houve uma distracção acerca do que a banda é ou faz e desse ponto de vista nós estamos a cuidar mais do negócio. O que fazemos é o que nós somos. Eles fazem a parte do negócio, mas o negócio somos nós, e tomamos conta dele, e queremos manter sempre isso assim.

Meanwhile, Shane Fester, join us for our interview and tell us a little bit about what is to be part of Ménage.

Shane Fester – I’m just happy to play with these guys. I actually start working with Ménage by taking photos of them, so i watch them jam, and then we jam together a little bit… but after we take photos (laughing). So i took photos of them performing a couple of times and i help Fernando to tune guitars for a big show that they did and so that was my introduction to the band and now i’m in it. I’m very exciting to being here performing in their home country.

Entretanto, Shane Fester, juntou-se à entrevista e contou-nos um pouco da sua experiência nos Ménage.

Eu estou muito feliz por tocar com todos. Eu comecei a trabalhar com os Ménage a tirar-lhes fotos, então assistia aos gigs, depois fizemos gigs juntos… e depois tirávamos fotos (risos). Tirei fotos deles a actuar algumas vezes e acabei por ajudar o Fernando com a afinação das guitarras para um grande concerto que deram e esse foi o meu começo e agora estou com eles. Estou muito feliz de poder tocar, principalmente no seu país de origem.

J.D. – You released in Portugal a full length, in September, tell me about it?
Lançaram em Portugal um álbum completo, em Setembro, falam-me dele?

Fernando – Well, there are songs slowly recorded in Toronto while we where touring and that was released has an E.P. in North America, like a short little album. Then, we tour that and after, when we come back we recorded the second and put them together. They talk about our day to day, and our experiences. There are 10 songs that were written in the studio, some in 2013 with diferent inspiration, in States and others here in Portugal and then we put them all together.

São músicas que levaram o seu tempo a gravar, em Toronto enquanto estávamos em tour e este trabalho foi lançado em E.P. na América do Norte, como um álbum pequeno. Depois, fizemos a tour com elas e depois quando voltámos gravámos uma segunda e juntámos tudo. Elas falam do nosso dia-a-dia e das nossas experiências. São 10 músicas que foram escritas em estúdio algumas em 2013 com diferentes inspirações, nos Estados Unidos e em Portugal e depois juntou-se tudo.

Bela

Bela

J.D. – You lived between Toronto, Canada and a small town in Portugal (Mira).
How well are you known in Mira?
Viveram entre Toronto, Canada e a vila de Mira, em Portugal. Conhecem-vos em Mira?

Bela – Well, it’s really strange, but yes. We are known there.
É muito estranho, mas sim. Nós somos lá conhecidos.

Gabriel – We are huge in Mira (laughs).
Nós somos gigantes em Mira (risos).

Bela – When we landed here, we went first to Mira and then we came to Lisbon, and when we were there, a family in a car started to shout “Ménage, from Portugal” and putting their tumbs out (laughing), and it wasn’t anyone we knew. So was very cool.
We don’t have family there anymore, but we have friends and it reminds us our childhood, when we were kids.
We born in Toronto. My father is from Machico, Madeira and our mother from Mira, but they met in Toronto, and we born there.

Quando aterrámos em Portugal, fomos primeiro a Mira e depois então viemos para Lisboa. E quando estivemos em Mira, houve uma família que ia num carro e de repente viram-nos e gritaram “Ménage de Portugal” e fizeram o sinal de like com os polegares, fora do carro. Não era ninguém que conhecessemos. Foi muito fixe.
Nós já lá não temos família, mas temos amigos e as nossas lembranças de criança estão em Mira.
Nós nascemos em Toronto, o meu pai era da Madeira, Machico e a nossa mãe de Mira, mas conheceram-se no Canadá e nascemos lá.

J.D. – Do you ever thought about coming to Portugal and work here?
Alguma vez pensaram em vir trabalhar para Portugal?

Gabriel – Actually, yes. When we get to Portugal, we have a diferent atmosphere, and it’s funny, i was thinking about that today that you clear your mind when you are here. The vibe of the people is much different from North America so i think it’s more welcoming, artistically speaking. You feel inspired. Of course, i speak for myself… i really feel more inspired here.

Por acaso, sim. Quando vimos a Portugal, temos uma atmosfera diferente e é engraçado, que estive a pensar nisso hoje, que limpamos a mente quando estamos em Portugal. As vibrações das pessoas são muito diferentes das da América do Norte, penso que as boas vindas são diferentes em termos artísticos. Uma pessoa sente a inspiração. Claro que, eu falo por mim… sinto-me mesmo inspirado quando cá venho.

Bela – And also, you are exposed to another version of being Portuguese. There is a huge portuguese community in Canada and in Toronto where we spent a lot of time, but it’s like a diferent version of it. When you come here is like the real thing and there is the emigrant version of it and it’s quite diferent. So here we breath a lot of fresh air. Here the music we create is diferent. Even here in Portugal smells diferent.

Também ficamos expostos a outra versão do que é ser português. Há uma grande comunidade portuguesa no Canadá e em Toronto onde passamos muito tempo da nossa vida, mas é uma versão diferente. Quando aqui vimos é mais real e lá é outra versão bem diferente. Aqui respiramos muito ar fresco. Aqui a música que criamos é diferente. Até o cheiro é diferente em Portugal.

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Instagram