Facebook Pixel

Test Drive | Honda PCX 125

“Pró Menino e prá Menina”

Honda| Recebi a notícia, tens uma moto para testar, hum…

Fiquei logo entusiasmado e perguntei de imediato, “então e que modelo é?”, ao que me responderam, “uma PCX 125”. Lá fui fazer logo o trabalho de casa enquanto o dia não chegava.

Abro a página da Honda e dou de caras com a dita PCX 125, primeiro pensamento… parece-me um pouco frágil… será que conseguirei ter equilíbrio? Continuei a pesquisa pelas características o que me foi agradando cada vez mais, tanto no preço (2.580,00€) como nos consumos (2,1Lts/100Km). Consegue-se este baixo consumo devido ao Sistema de Paragem do Motor ao Ralenti. Este sistema consiste na paragem automática ao ralenti, que desliga automaticamente o motor após 3 segundos ao ralenti. Basta rodar o acelerador, para o motor volta a arrancar. Há a possibilidade de desligar este sistema.

Honda PCX 125Chegou o dia, e ali estava ela à minha frente…

Trata-se de uma scooter “levezinha”, o que se torna um pouco complicado (nos primeiros quinhentos metros), isto naturalmente para uma pessoa como eu habituada ao mundo das duas rodas (e conta com cerca de 200kg para equilibrar).

Comecei então o test-drive… mesmo com o seu pouco peso, esta tarefa não se mostrou assim nada difícil, a ciclística é de fácil adaptação, fazendo-se bem às curvas e com bastante estabilidade.

Quanto à aceleração, a PCX 125, dá um máximo de 110Km/h (a direito) dos 160 marcados no conta-quilómetros e no que diz respeito à suspensão, a da frente funciona às mil maravilhas, a da traseira mostra-se um pouco mais rígida em piso mais irregular (coisa que infelizmente se encontra em muitas das nossas estradas).

Em relação aos instrumentos que a mota possui, são de fácil utilização não havendo nada que enganar, já os manómetros, mesmo sendo de fácil leitura, se houvesse um relógio integrado ficava bem mais completo. Fica a sugestão.

Honda PCX 125A Honda PCX 125, tem um porta-luvas onde se pode guardar a carteira somente com o contra, de não poder ser trancado. Existe uma arrumação debaixo do assento com algum espaço, contudo, é bom ter em conta o tipo de capacete que se quer usar, sendo o ideal, capacetes curtos para quem pretenda o deixar na moto, pois se pretender usar outro tipo de capacete não o poderá fazer. Esta scooter possui dois descansos: um central e outro lateral.

Andar com um pendura

Chegou o dia de experimentar a moto com o pendura, e para isso, nada melhor que chamar o meu pai, que acedeu logo, e lá fomos ao nosso tour.

O desempenho mantém-se equilibrado, o que se mostrou ser uma agradável surpresa e a PCX 125 continuou fácil de conduzir e a fazer-se bem às curvas. Quanto à aceleração mantém-se idêntica, mas sem dúvida muito agradável para deslocações na cidade e percursos suburbanos.

Trata-se assim de uma moto mais urbana, do que longo curso. Uma scooter “levezinha”, e de fácil condução sendo portanto uma moto “pró menino e prá menina”.

A PCX 125 mostrou-se uma mota prática, económica e elegante. Relativamente às cores disponíveis existem três: branco, cinza e preto.

Para finalizar, informo que existe o Clube PCX Portugal, onde poderá obter apoio extra e participar em passeios e eventos.

[Mais Informações]

Fotos: Pedro Filipe

Instagram
Copiar ligação