Sónia Adonis Jewellery
Visitar Goste da página Facebook Contacte Adonis Jewellery

3º Álbum dos Florence + The Machine

Senhoras e Senhores… Florence + The Machine

E assim termina um longo jejum de quase 4 anos, com a edição do quentíssimo terceiro álbum de estúdio dos britânicos.

A máquina está a todo o vapor mas o combustível tem um nome, um corpo, uma voz e Florence Welch está como mais uma vez no centro do turbilhão borbulhante do conceito do terceiro trabalho da banda – “How Big, How Blue, How Beautiful”.

A atitude nada é comparável a de uma diva, mas muito mais de antagonista de imperativas histórias de amor cantáveis que se transformam em ciclos infernais que Welch personifica com mestria e doentia obsessão.

“How Big, How Blue, How Beautiful”, é nas palavras de Welch um “corte com conceito de morte e água” muito presente do antecessor Cerimonials (2011).
O terceiro trabalho de estúdio é como um ensaio antropocêntrico do emocional, das vicissitudes do amor e de todos dramas associados a esta condição mais frágil e delicada.

FlorenceTal como a frontwoman da banda, delicadeza e fragilidade cristalina, são particularidades que associamos invariavelmente a Florence Welch. A figura angelical, contrasta com a voz deliciosamente diabólica que destila refrões memoráveis a que já nos acostumou e que rebenta em vigorosos hinos de inúmeras virtudes vocais, que tem marcado a carreira da banda.

As metáforas em “How Big, How Blue, How Beautiful”, são o veículo para um mundo de experiencias pessoais onde a artista mostra a cálida mensagem de ser humano carnal, que ama e deseja, e que explode numa catarsis que resultará na purificação da alma… nós ouvintes, agradecemos.

Desde Fevereiro deste ano que o lançamento do disco tem sido meticulosamente publicitado, criando borburinho na imprensa internacional, com o lançamento do preview do terceiro disco de estúdio.
Sucederam-se lançamento de singles como, o feroz “What Kind of Man” ou o belíssimo e bem intimista “St. Jude” ou ainda o efervescente e decadente (na mensagem) “Ship to Wreck”, bem como o mais recente single lançado a 19 de Maio, “Dalilah”, metáfora que agarra no expoente máximo da traição bíblica entre Sansão e Dalila.

O estilo cerimonial mante-se e o recurso aos coros gospel e orquestrais gloriosos são uma constante como é apanágio da banda, que em menos de uma década se tornou num sucesso à escala galáctica.

Esteticamente o álbum apresenta-se mais orgânico e com mensagens cruas e directas. Para os fãs mais invertebrados que estão mais emocionalmente ligados a “Lungs” (2008) ou “Cerimonials” (2011), “How Big, How Blue, How Beautiful” pode parecer inicialmente decepcionante, contudo rapidamente nos rendemos aos momentos intimistas e sussurrantes dos temas como “Lost&Long” ou ao fascinante e imaculado “Caught”, onde é inegável não se falar de Welch no centro do furacão depressivo, como artista encurralada num paradigma ridiculamente confortável de dor e caos emocional – “Maybe I’ve always been more comfortable in chaos”.

Em contrapartida, os enérgicos e explosivos “Queen of Peace” ou “How Big, How Blue, How Beautiful”, é onde Florence retoma o registo vocalmente poderoso e que a faz ser considerada, uma das 100 melhores vozes do século XXI.

Neste terceiro trabalho de estúdio, a guitarra assume por vezes um papel importante que chega até a competir com a voz de Welch, nomeadamente em “Various Storms & Saints”.

Temas existem onde Florence + The Machine, assumem algumas influências de bandas do universo indie rock, onde destaco o belíssimo “Third Eye”, como hino à persistência e resiliência, na busca constante do sucesso no amor.
“Third Eye” tem semelhanças bem presentes com o tema dos Bastille, “Pompeii”, podendo ver ainda algumas influências sonoras em “Mother” com banda ex-líbris do rock/blues psicadélico de Jefferson Airplane, harmonioso mas com um final explosivo de guitarras e sintetizadores.

Dia 18 de Junho, Florence + The Machine, passarão pela terceira vez em território nacional, na edição de 2015 do Festival Super Bock Super Rock para apresentar este recém-editado trabalho de estúdio, aproveitando a oportunidade para sarar feridas deixadas ao público português, aquando do cancelamento do concerto, no Optimus Alive, em 2012.

Aqui fica a Set List do novíssimo álbum How Big, How Blue, How Beautiful

3 Album - Florence + the machine01 – Ship To Wreck
02 – What Kind Of Man
03 – How Big, How Blue, How Beautiful
04 – Queen Of Peace
05 – Various Storms & Saints
06 – Delilah
07 – Long & Lost
08 – Caught
09 – Third Eye
10 – St Jude
11 – Mother
12 – Hiding (Bonus Track)
13 – Make Up your Mind (Bonus Track)
14 – Which Witch (Demo/ Bonus Track)
15 – Third Eye (Demo/ Bonus Track)
16 – How Big, How Blue, How Beautiful (Demo/ Bonus Track)

Fonte: Luís Manuel Pontes / florenceandthemachine.net
Fotos: florenceandthemachine.net

Imagens relacionadas:

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
RSS
Facebook
Facebook
Instagram